Entrevista: Lexa abre o jogo sobre sua relação com o funk, álbum “Disponível” e conta quais os próximos passos da sua carreira

Com milhões de acessos em videoclipes na internet, 3 singles bem sucedidos nas rádios, reconhecimento nacional, álbum intitulado “Disponível” a venda em todo o país, Léa Cristina Araújo da Fonseca, a Lexa, já começou a despontar como a grande nova aposta do funk.

Incentivada por músicos na família, Lexa compôs sua primeira música aos 9 anos. Agora, aos 20, a cantora carioca já soma mais de 16 milhões de acessos com seus 3 clipes, viu seu site alcançar 100 mil acessos em meia hora de ação para divulgação do seu primeiro disco, lançou linha de esmaltes, se viu no Top 20 da Billboard Brasil com sua música de estreia, ‘Posso Ser’ e já faz shows em todo o país.

Atualmente dedicada as gravações do vídeo para o novo single, “Pior Que Eu Sinto Falta’, Lexa encontrou um tempinho e falou com ‘Sério, Nauan?’ sobre carreira, influencias, cenário atual do funk, álbum “Disponível’, snapchat e ainda deixou um recado para os leitores do blog.

Confira:

Nauan: Você passou em excelentes colocações no vestibular para a UFRJ, podendo seguir outras áreas bem diferentes da música, como a Engenharia. O que te fez optar pela música?
Lexa: O sonho. Sempre tive vontade de cantar. A primeira vez que cantei foi em um palanque que minha mãe fez pra mim, com várias flores em volta, e eu tinha 6 anos de idade. Então a música veio antes da engenharia, antes de tudo, sempre foi o meu maior desejo. Eu estudei porque acho importante ter uma base, ter um lugar pra voltar, porque se não der certo, meu amor, você tem que ter um plano b. Passei, tenho orgulho disso, porque era uma coisa que eu queria muito, mas mais do que isso eu queria realmente cantar.

Nauan: Quais artistas você ouve atualmente?
Lexa: Bruno Mars, Taylor Swift, Demi Lovato, Justin Bieber, Beyoncé, Rihanna, Ivete Sangalo, Roupa Nova. Deixa eu ver aqui meu playlist (risos). Sandy. Ah, eu me escuto gente, escuto muito funk também, a galera que é do meu segmento. Escuto de tudo, tudo tem coisa boa. Adoro forró.

Sem título
“É minha vida, eu vou vivendo cada faixa do meu cd, literalmente.”

Nauan: A música tem diversas vertentes e estilos. Como o funk chegou até você?

Lexa: Através da minha mãe. Ela é funkeira, muito funkeira. Então eu fui colocada pra ninar com Claudinho e Buchecha. O funk já tá dentro da minha cabeça e rodando no meu sangue há muito tempo.

Nauan: Muitas pessoas criticam o funk por estar, atualmente, tão parecido com o pop. Qual sua opinião sobre isso? Isso limita um pouco sua inspiração ou você não se importa com essas imposições?
Lexa: Isso expande muito mais a música, porque que bom que tá cada vez mais pop, que bom que tá cada vez mais melodioso. Tem um arranjo, tem uma maior preocupação do cantor de cantar melhor, de fazer as pessoas dançarem. Eu amo muito o funk de raíz, que é aquele funk batidão, que você canta em cima de um batidão, mas se você pode ter o batidão, o melody, o estilo que tá cada vez mais pop com todo esse cuidado a mais, é ótimo gente. Música nunca é demais, então pra mim, só veio pra somar e se aparecer mais estilos musicais sempre serão bem vindos.

Nauan:Posso ser”, seu primeiro single, virou um hit muito rápido. Alcançou rapidamente o top 20 da Billboard e tem um clipe com mais de 9 milhões de acessos no Youtube. Como foi pra você ver tudo isso? O que você pensou a primeira vez que viu o clipe e ouviu a sua música na rádio?
Lexa: Pensei, é isso aí mesmo, eu vou viver disso, porque é o que eu amo. Porque se eu chorei escutando minha música e se me arrancou os sorrisos mais sinceros me ver num clipe, porque era realmente isso que eu queria pra minha vida.

Nauan: Sobre seu primeiro álbum, “Disponível”, o que você como artista quer passar com ele? Vi que suas letras reforçam bem o poder da mulher perante situações. “Disponível” pode representar esse empoderamento feminino?

Lexa: Sim. Todas as minhas letras passam coisas que aconteceram comigo, acho que aconteceram com todo mundo. Quem nunca levou um pé na bunda? Quem nunca se apaixonou muito? Quem nunca achou que ia ter o amor da sua vida? Ou quem nunca acordou um dia e pensou ‘ah, quer saber? Vou curtir, vou deletar’? Então meu cd conta a vida de uma menina de 20 anos pra toda uma galera. Ontem uma senhora me parou no meu condomínio, a dona Marli, e ela falou assim ‘Porque que só gente jovem pode ser seu fã? Eu sou sua fã viu? Vou te esperar porque quero te ver na televisão’ e ela é muito fofa, ela pergunta pra mim os horários que vou passar na televisão, porque ela realmente gosta do trabalho. Então não tem idade, eu canto pra todo mundo, mas eu canto também o que eu passei, o que eu posso passar pras pessoas, eu canto o que eu gosto, o que é dançante. Agora você imagina cantar uma realidade em cima de uma batida super legal. Só dá coisa boa!

Nauan: Qual sua faixa preferida do “Disponível”?
Lexa: Caramba, não tem uma favorita. Não tenho de verdade, acho que todas tem um ‘quê’, sabe? É como eu disse, é um momento, mesmo, da vida. Tem dia que eu tô pra ‘Para de Marra’, tem dia que eu tô pra ‘Pior Que Eu Sinto Falta’. É minha vida, eu vou vivendo cada faixa do meu cd, literalmente.

Nauan: Eu te sigo no Snapchat (lexaoficial) e morro de rir com suas publicações. Você publica seu cotidiano, seu encontro com fãs, seus momentos com amigos e parece bem a vontade com essa interatividade. É sua rede social favorita?
Lexa: É minha favorita, porque a galera pode conhecer o outro lado da Lexa, a Lexa molecona, porque muita gente só me conhece em cima do palco, né? Mostrar minha vida, minha família, meus costumes… eu acho muito importante, sabe? Pra pessoa conhecer realmente meu interior, meu íntimo.  Acho que o palco é uma coisa muito específica, e se as pessoas podem entrar na minha vida, como quero que entre mesmo, o Snapchat é a melhor forma.

Nauan: 3 clipes e singles incríveis, um EP e um álbum muito bem produzidos, shows com coreografias e uma potência vocal sensacional… O que podemos esperar dos próximos passos de Lexa?
Lexa: Eu te encontrar e dar flores, porque… obrigada pelos elogios (risos). Então, os próximos passos… vou lançar o meu clipe, ‘Pior Que Eu Sinto Falta’, que é a música que a gente vai trabalhar. Tô bem focada na divulgação do cd agora, eu tô vivendo meu cd muito, muito, muito. Mostrar minha música, né gente? Os clipes que estão lindos. É preparação pra televisão, pra agora, dando entrevista pra você. Tem muitas coisas boas vindo aí, músicas que gravei fora do Brasil, que eu fui pra gravar uma, voltei com três.

E pra finalizar, a Lexa deixou um recado para todos os leitores do serionauan.com. Ouça:

Share This:

Nauan Sousa

Jornalista, social media e fã de cultura pop. Não gosto de determinar, prefiro analisar. Gosto de palavras, séries, doce e cerveja. Provavelmente você não irá com minha cara logo de cara, mas se você me der 3 minutos e 10 segundos posso te convencer que o 'Sério, Nauan?' vale sua visualização.

Um comentário em “Entrevista: Lexa abre o jogo sobre sua relação com o funk, álbum “Disponível” e conta quais os próximos passos da sua carreira

  • 16/10/2015 em 2:33 AM
    Permalink

    Eu sou fã da Anitta mas amo as suas musicas também é aguardo que vc faça um hit com a Anitta pra todos esses rumores acabarem, sucesso linda

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *