Crítica | Batman vs Superman: A Origem da Justiça é o filme mais arrastado e decepcionante da década

Batman vs Superman. Pois é, como começar a falar de uma das maiores expectativas da DC Comics em 2016?

Então, quando saíram os primeiros trailers e o marketing em cima de ‘Batman vs Superman: A origem da justiça’ a ênfase foi toda em cima do duelo de dois grandes heróis da história. Superman por si só se recomenda, em 1938 com sua primeira aparição na revista Action Comics #1 o ‘super’ virou a maior referência quando falamos de heróis desde que mundo é mundo. Com diversas adaptações para vários meios de entretenimento, o personagem de HQ já se viu na TV, no cinema, em letras de música… um verdadeiro ícone pop. Batman, que surgiu um ano depois de Clark, não fica atrás quando o assunto é popularidade. O Bruce Wayne ou Cavaleiro das Trevas, como queira, tem uma grande história nos HQs e nos cinemas, a trilogia de Christopher Nolan para o personagem é simplesmente sensacional e arrecadou tubos de dólares em bilheteria, merecidamente.

Dessa forma a DC pegou os dois personagens e adaptou um duelo para o início da Liga da Justiça. Porém, o filme que tinha tudo para ser eletrizante é uma água morna para se colocar os pés. Repleto de flashbacks desnecessários e alguns furos perceptíveis de roteiros o longa metragem cai em uma outra armadilha, seus próprios atores. Henry Cavill parece estar mais preocupado em parecer bonito em cena do que em realmente dar vida ao Superman, já Ben Affleck ganhou um Batman mais violento, como o público queria, e esse apelo foi essencial para não darmos foco a sua inexpressividade em algumas cenas. Na hora da redenção de Batman ao Homem de Aço, inclusive, a apatia chega a incomodar. As aparições da Mulher Maravilha foram triufantes e seriam grandes ápices se não fossem tão curtas e mostrado tão pouco da Gal Gadot como a personagem, teremos que esperar o filme dela.

Porém, Batman vs Superman (que não deveria ter esse nome, depois escrevo porque) não foi só falhas. O filme tem uma fotografia impecável, Jesse Eisenberg em uma atuação surpreendente de um Lex Luthor beirando a insanidade, easter eggs empolgantes da liga e um clima sombrio que só a DC sabe fazer.

Claro que estou ciente que muitas pessoas já viram ‘Batman vs Superman: A origem da justiça’ e que o filme dividiu lados em suas críticas. Para quem defende o enredo os principais argumentos são a fidelidade ao HQ e a ironia de que o público esperava o ‘humor’ Marvel na produção. Na verdade o problema de A Origem da Justiça vai além disso. Vai na sua venda. O filme foi vendido como um duelo entre dois super heróis, e esse não foi o mote principal que vimos nas telonas, ou pelo menos não convenceu nenhum pouco a rivalidade passada, seja pelo fraco roteiro ou pela apatia dos atores. Sobre a HQ, é ótimo que a DC seja fiel a história original, mas o cinema requer uma linguagem e agilidade diferente, as HQs tem sim que ser suas maiores condutoras, porém o cinema amplia o público, e isso tem que ser levado em consideração.

Se vale a pena ver Batman vs Superman nos cinemas? Talvez. Se vale a pena criar expectativas antes de vê-lo? Definitivamente não.

Avaliação

 

Nota 2,0: Ruim!

Share This:

Nauan Sousa

Jornalista, social media e fã de cultura pop. Não gosto de determinar, prefiro analisar. Gosto de palavras, séries, doce e cerveja. Provavelmente você não irá com minha cara logo de cara, mas se você me der 3 minutos e 10 segundos posso te convencer que o 'Sério, Nauan?' vale sua visualização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.